Buscar
  • Mulheres Cannábicas

Perguntamos pra Gi

Como você costuma perceber e avaliar sua comunicação interna? E quando precisa conversar melhor consigo mesma ou com o mundo externo, que costuma fazer?


"Me deparei logo com uma dificuldade de chegar a um denominador comum para responder a esse “o que costuma fazer?". Dando umas escavada por aqui, em ocasiões da vida, umas mais antigas outras mais recentes outras mais presentes.. o que costumo fazer me pareceu bem entrelaçado às ocasiões.🤔 Nesse esforço de responder de forma mais generalista, pensei no que associo a desbloquear os canais: me movimentar;  ir à praia;   bater uns lero com alguém, e aí especialmente válidos aqueles diálogos-gatilho com poder de trazer para fora as coisa lá de dentro (dando pra dar umas risada o adianto já é maior e mais gostoso ainda); teve vezes de sair pra caminhadas sozinha tb... E combinações disso tudo. Quanto à percepção e avaliação da comunicação interna, poxa, foi complexo também rs. Me veio a sensação de estar tentando acessar isso mais objetivamente do que costumo, porém escavucando e percebendo que esse movimento acontece. Me parece mais palpável através de conversas, daquelas q falei ali antes; são um grande meio pra mim, para se perceber, se avaliar. Atividades reflexivas.. tarô gera tb!

E outra coisa que fiquei também foi: véi, quantas camadas de coisas posso estar chamando de comunicação interna, sabe? A atenção que dou pro que meu corpo tá me dizendo; desde exemplos mais simples como "estou c tosse, vou fumar ou n?". E quanto a clareza com a qual consigo acessar e discernir entre pensações/sentimentos/emoções, quão enlinhados estão os fios e quanto consigo compreendê-los..."


Giovanna Valença é moça de conversas. Boa nos desaninhares através de diálogos, no momento finaliza sua graduação em psicologia na UFPE e descobre como que faz pra viver no mundo :-)


0 visualização

Mulheres Cannábicas do Brasil – 2020 – site por emily bandeira