Buscar
  • Mulheres Cannábicas

terroir

Atualizado: Mai 13



Vamos lá, faz um tempo que tá pra sair esse texto pra falar do terroir. Vocês já ouviram falar de terroir? E de Zeitgeist? Normalmente, pra explicar o que é o terroir a gente sempre faz um paralelo com a palavra Zeitgeist. Zeitgeist é um termo do alemão que significa mais ou menos “espírito do tempo”. O terroir seria o equivalente ao “espírito do espaço”.

Tá. O que isso quer dizer?

Quer dizer que sempre que a gente fala de terroir, estamos falando de tudo que concerne o espírito ou a qualidade de um pedaço de espaço específico. Na maioria das vezes estamos falando de um espaço físico mesmo, de terra. Normalmente quem gosta muito de vinho conhece a expressão. Falar do terroir do vinho significa falar das condições da terra, do clima, das vibes (hehe) da uva de origem.

Colocando no nosso contexto?

Sim, sim, a gente frita ao pensar nos terroirs da ganja! O terroir da ganja seria algo como o espírito da terra traduzido em lombra <3 Ele se manifesta nos cheiros, nos gostos, nas cores, enfim, em todas as características que a planta terá. Pensando bem, esse é um conceito que no geral a gente já tinha dentro de si, né. Um alecrim que cresce aqui será diferente de um alecrim que cresce na Sibéria, mesmo que venham das mesmas sementes.

O que a gente curte lombra junto a esse conceito é o pensar que, inevitavelmente, o terroir também deve se transferir paras as qualidades psicoativas da planta.

Cada planta de cada canto, portanto, com seu terroir e suas lombras específicas. Essa pode ser dessas coisas tão sutis que normalmente não nos atentaríamos a elas. Mas aqui a gente curte viajar mesmo, então tentar perceber essas sutilezas tornou-se parte de nossas análises :-)

Em cada canto que viajamos, buscamos conhecer suas maconhas e consumi-las em seus contextos. É certeiro o prestar atenção na lombra. A maconha do Amazonas, por exemplo, não podia ser de outro jeito, assim como a maconha pernambucana também tem seu jeitinho e etc e etc.

Quando a gente pensa no terroir da ganja também é pensar como se faz o consumo em cada lugar. Onde se armazenam as flores? Mistura-se tabaco? Usa-se piteira?

E a gente gosta de brincar de palavra: Como vocês chamam a ganja? Como se chama o amigo pra fumar um? Particularidades de cada cantinho de língua <3

O terroir de cada canto é formado enquanto os minerais do solo autóctone sobem através dos caules. É formado através da luz de cada sol diferente que é encontrado em cada lugar. Sol latino tropical resulta em terroir diferente. Solo de cerrado dá terroir diferente de solos do sertão. Nossa erva daninha se transmuta em transcendências em quaisquer situações.

E esse texto é só um convite pra lombrar junto <3

#terroir #cannabis #maconha #lombra #tempo #gostos #viagens #trip

4 visualizações

Mulheres Cannábicas do Brasil – 2020 – site por emily bandeira